Dica para o final de semana: 4 parques e praças, em São Paulo, para você passear com o seu melhor amigo!

Parque do Povo: vibe + tranquila!

“No Parque do Povo a “vibe” é mais tranquila. Aproveite para se deitar no gramado e curtir o sol, ler um livro, bater papo com os amigos, fazer um piquenique e curtir a companhia do seu melhor amigo. Em Roma, faça como os romanos.”

O Parque do Povo é um espaço público paulistano, criado em 2008, em uma interessante localização: entre o bairro do Itaim e a Marginal Pinheiros. É vizinho do shopping JK, tem uma vista privilegiada para os arranha-céus espelhados e é rota dos aviões, que pousam no aeroporto de Congonhas. A primeira visão que você tem dele, é do bonito gramado verde que parece um tapete. As pistas de caminhada e corrida e a ciclovia delimitam a área de quem quer se exercitar. E a placa “proibido cachorros soltos” deixa clara as regras da casa
1 1.2

 

Parque Villa Lobos: playground pet!

Localização: Rua: Av. Professor Fonseca Rodrigues, 2001 (a entrada mais próxima da Dog Zone é pelo portão da Av. Queiroz Filho) Tel.: 11 2683 6302 Categoria: parque facebook: www.facebook.com/espacocaninovillalobos

Inaugurado em 1994, é uma área de lazer a céu aberto na zona oeste de SP. Os trabalhos de paisagismo e arquitetura transformaram o grande descampado em um parque de design arrojado e cheio de atividades esportivas e culturais. Há um orquidário, gramados para fazer picnic e uma bela vista do skyline paulista, além do cachorródromo chamado Dog Zone Villa Lobos.

O Espaço Per Friendly

Há dois espaços cercados por uma grade amarela, onde os cachorros são bem-vindos e podem ficar sem coleira. O chão é de terra e há dois quiosques com cobertura e alguns bancos para sentar. Perto da grade, duas torneiras matam a sede dos pets. A Cool Media “adotou” o espaço Canino Villa-Lobos e o transformou em um ponto de encontro. O objetivo é fazer com que os donos troquem experiências, ou seja, vai além de ser uma área para o seu pet correr livremente.

2

2.1

 

Praça Buenos Aires

“Ali está o playground dos cachorros, onde eles podem correr, brincar e gastar energia. O chão é de terra, há várias árvores, entre elas uma linda figueira, e um bebedouro.”

Localização: Rua: entre a Avenida Angélica e as Ruas Alagoas e Piauí. Tel.: 11 3666-8032 Categoria: praça/cachorródromo

Higienópolis é conhecido pelos seus lindos prédios antigos, alguns chegam a ser históricos, e por ser um bairro pet friendly. O horizonte já não se vê mais, coisas da cidade grande. Nesta selva de pedra, cheia de gente interessante e correndo atrás de um sonho, há um minioásis, uma espécie de bosque que nos presenteia com o verde e o frescor da natureza.

O Espaço Per Friendly

Dentro da Praça Buenos Aires, há um espaço cercado no qual os pets podem ficar sem guia. O cachorródromo é o playground dos cachorros, local onde podem gastar energia à vontade. O chão é de terra e há várias árvores. Entre elas, uma linda figueira. Existe um bebedouro para saciar a sede. E alguns banquinhos para acomodar os donos e incentivar que mais amizades aconteçam, afinal nada mais agregador do que um cão. O espaço pet friendly está próximo ao portão da rua Piauí.

3

3.1
Cachorródromo do Ibira

O Cachorródromo do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, é o espaço onde os cachorros podem ficar soltos, sem o uso de coleira. No restante do parque é proibido. Boa parte da mascotada tem bons modos. É a velha história: ninguém melhor do que o dono para saber como seu cachorro vai se comportar. Certo? Por motivos óbvios, os finais de semana são os mais cheios. Para a Ella, o cachorródromo é bom para se exercitar e socializar. E nós, inevitavelmente, fazemos novos amigos. Como achar o cachorródromo? Entre pelo portão 7 (onde tem estacionamento para carros) e pegue à direita em direção à Avenida Quarto Centenário, então siga reto e logo você verá a cachorrada na maior diversão. Vamos aos vídeos? Neles, você poderá sentir o clima alegre e descontraído de uma dos lugares mais pet friendly de Sampa.

4

 

Fonte: http://guiapetfriendly.com.br/

 

Casa Cor RJ 2015: Um pouco da história da Villa Aymoré

As noves casas, que serão sede da mostra carioca, carregam um grande histórico de sucesso, abandono e restauração

A Casa Cor Rio de Janeiro 2015 completa 25 anos e prepara muitas surpresas para essa edição, começando pela sua sede. Pela primeira vez, a mostra carioca vai habitar uma vila, com nove casas: a histórica Villa Aymoré.

1

Construída no início do século XX para a burguesia da época, a habitação teve seus momentos de glória e com o passar do tempo, foi esquecida e abandonada. O local, que possuía dez casas geminadas, teve a última delas arruinada completamente. O restante dos imóveis estavam em péssimas condições também.

2

Mas, em 2010, a Landmark Properties, adquiriu a vila e começou um processo de restauração e renovação do local. Desde 2011, as obras têm sido feitas pela Raf Arquitetura e executado pela Lafem Engenharia – e acompanhado de perto por arqueólogos e pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade.

3

Além das casas geminadas, foi incorporado ao projeto o prédio do antigo Hotel Turístico, localizado na entrada da rua de acesso à Villa; e construído um novo, o Edifício Baronesa, que ganhou o contorno da montanha e cobogós. Uma área total construída de 9.000 m².

4

“Foi uma renovação completa. Afinal, criamos uma nova identidade para aquela construção”, diz Anibal Sabrosa, diretor-sócio da Raf e um dos responsáveis pelo projeto. “Nossa missão era adaptar as casas para um novo uso, totalmente diferente, de forma que isso fosse viável comercialmente para a Landmark. Mas era preciso também respeitar o passado e a história daquele lugar”, completa.

5

Além da total recuperação das fachadas ecléticas, as casas passaram por um retrofit que incluiu novas instalações e o reforço de suas estruturas.

6

As nove casas abrigarão 40 ambientes. No primeiro andar ficarão os espaços dedicados à moradia: livings, cozinhas, suítes, lofts. No segundo, os ambientes de trabalho. Na Casa Cor Rio 2015, a Villa Aymoré vai dar boas ideias de como manter os dois ambientes em um só lugar.

Fonte: casa.abril.com.br

As 10 maiores coisas do mundo

O ser humano tem a tendência de se colocar como o centro do universo. Mas nada como parar de vez em quando e prestar atenção à natureza e às coisas ao redor para percebermos como nossa existência faz parte de algo muito maior. Existem árvores colossais, frutas que duram uma vida, ilhas que se comportam como países, animais gigantescos. Veja abaixo uma lista das 10 maiores coisas do mundo:

1. A caverna Son Doongv

cave-750x563

Situada no Vietnã, a caverna Son Doong foi descoberta em 1991 por um local chamado Hồ-Khanh. No interior da caverna existe um grande rio subterrâneo e sua entrada com descida íngreme e uma acústica que faz sair um som estranho e ventar muito intimida qualquer um de explorar a caverna. Talvez seja por isso que ela continua intacta!

2. O Dubai Mall

dubaimall-750x500

Este shopping é conhecido como o maior do mundo por causa da sua área total: cerca de 13 milhões de pés quadrados e tem cerca de 1.200 lojas de varejo. Tem ainda uma pista de gelo, um jardim zoológico subaquático, cachoeira e um aquário. Traz também 22 cinemas, um hotel de luxo e mais de 100 restaurantes e cafés.

3. Elefantes

elephant-750x843

Elefantes são os maiores animais terrestres vivos. Eles têm entre 4 metros de altura e pesam entre 4 a 6 toneladas. Cada um de seus membros e partes do corpo tem uma função diferente e muito original, permitindo que eles se comportem e vivam como uma espécie de super-animal. Suas orelhas enormes permitem que eles ouçam excepcionalmente bem, enquanto suas trombas tem cinco funções diferentes: respiração, “falar”, cheirar, tocar e agarrar.

4. A jaca

jackfruit-750x500

Original do sudeste e sul da Ásia, e tão conhecida no Brasil, a jaca é uma fruta que muita gente acha estranha. Ainda, é uma das maiores árvores frutíferas do mundo e se desenvolve naturalmente em países tropicais ao redor do mundo. Apesar do gosto forte, seu fruto é conhecido por sua excelente fonte de fibras.

5. Masjid al-Haram

mosque-750x498

Masjid al-Haram, também conhecida como a Grande Mesquita, é tida pelo mundo islâmico como o maior centro de peregrinação do mundo e o lugar mais sagrado do Islamismo. Com 86,8 mil metros quadrados, a mesquita abriga 2 milhões de pessoas uma única vez.

6. A Grande Barreira de Coral

reef-750x500

A Grande Barreira de Coral está situada no Mar de Coral, na costa de Queensland, na Austrália, e é uma imensa faixa de corais composta por 2900 recifes, 600 ilhas continentais e 300 atóis de coral. Possui uma grande variedade de fauna subaquática, incluindo 30 espécies de golfinhos, baleias e botos, mais de 1.500 espécies de peixes, seis espécies de tartarugas, crocodilos e muito mais. Estende-se por uma área de aproximadamente 2.900 quilômetros de comprimento, com largura variando de 30 km a 740 km.

7. Groelândia/Groenlândia/Gronelândia

greenland-750x499

A Groelândia é conhecida como a maior ilha do mundo, além de ser o país menos densamente povoado também. A maioria do seu território é coberta por gelo, e seu nome tem origem nos colonos escandinavos que primeiro povoaram suas terras geladas.

8. Salar de Uyuni

shutterstock_209223382-750x500

Medindo mais de 10.582 km² de área, o Salar de Uyuni é o maior deserto de sal do mundo. Resultado de transformações entre diversos lagos pré-históricos, o Salar é naturalmente formado por metros de crosta de sal que surgem quando poças de água evaporam, cobrindo grandes áreas de terra com sal e outros minerais, como o lítio.

9. Sequoia-gigante

tree-750x980

As sequoias-gigantes não são apenas as maiores árvores do mundo em tamanho, mas também em volume. Uma sequoia pode atingir em média 50–85 m de altura e 5–7 m em diâmetro. A espécie mais antiga possui 4.650 anos de idade e se encontra no Parque Nacional da Sequoia, na Califórnia.

10. A baleia-azul

whale-750x500

Se você já teve a oportunidade de ver uma baleia azul ao vivo, você esteve na presença do maior mamífero marinho do planeta. Elas costumavam comandar os oceanos, até que foram caçadas até quase à extinção, mas na década de 60 a comunidade internacional resolveu intervir e proteger a espécie. Atualmente, estima-se entre 5.000 e 12 mil o número de baleias azuis que ainda vivem em nossos oceanos.
Fonte: shutterstock

A inspiração para a nova coleção de Roque Frizzo para Saccaro

o céu repleto de balões da capadócia foi a inspiração para a nova coleção de roque frizzo para saccaro, em comemoração aos 30 anos de design autoral da marca

 

publi bamboo + saccaro

Quando Roque Frizzo foi convidado para criar a coleção comemorativa de 30 anos de design autoral da Saccaro, imediatamente se lembrou dos primórdios da empresa e imaginou o jovem Albino Saccaro trançando as primeiras palhas para garrafões de vinho, há quase 70 anos. Esta ideia o levou a pensar em cestos e os cestos, por sua vez, em balões. Assim, nasceu um novo conceito para o Design Habitat: a Capadócia.

“A linda imagem dos balões no céu é também uma metáfora para deixar a imaginação voar. E acredito que é isso que a Saccaro tem feito nestes 30 anos de design autoral. É uma poética bacana, que foi surgindo espontaneamente”, contou Frizzo no lançamento da coleção, no Jockey Club de São Paulo, durante o DW!.

A poltrona, os sofás de dois e três lugares, o ninho, o pufe e a poltrona de aproximação Capadócia inauguram um novo segmento de atuação para a Saccaro. Batizado de In Shade, traz peças que ficam entre a área externa e a área interna – ideais para varandas ou terraços cobertos. O acabamento trançado traz o clima do ar livre, enquanto o acolhimento e conforto condiz com as condições para dentro de casa.

5084_01 5084_02

5085 5083

5086_02 5086_08

5086_09

Não foi por acaso que Roque foi escolhido para criar a coleção comemorativa de design autoral da Saccaro. Ele desenvolve projetos para a marca há 17 anos e é responsável por alguns de seus maiores sucessos, como a mesa Serra Pelada, a poltrona Cobogó e a mesa Mangue. Saiba mais sobre ele.
saccaro.com.br

Fonte: bamboonet

Semana do design: Saccaro no Art Design Village

Está perdido com tantos eventos bacanas pela cidade por conta do Design Weekend? Fique tranquilo: Casa Vogue está acompanhando tudo e selecionando o que crème de la crème de cada participante.

Entre os espaços mais bacanas que concentram vários lançamentos e exposições, está o Art Design Village, que reúne grandes marcas de design.

A Saccaro  escolheu o evento para apresentar sua nova coleção, Capadócia, assinada por Roque Frizzo. Com estrutura de alumínio e trama de fitas acolchoadas de poliéster, as peças foram pensadas para ambientes internos ou varandas cobertas, inaugurando um novo segmento para a empresa, o “in shade” (produtos que mesclam características indoor e outdoor). A trama que caracteriza a coleção, além de remeter aos cestos dos balões que sobrevoam a região turca, também homenageia a história da empresa, que completa 30 anos.

imgExtranet_6_02390c4d-49bf-4ea8-b7d5-83dcb82a31cc

Fonte: Casa Vogue

 

 

 

 

 

 

 

Design weekend: Saccaro surpreende com instalação que mostra móveis suspensos

A marca gaúcha convidou o arquiteto Guilherme Torres para montar o cenário, que não passa despercebido no Art Design Village

FOTO 1

Quem visita o Art Design Village, no Jockey Club de São Paulo, certamente nota uma profusão de estofados suspensos em pleno jardim. A instalação foi o jeito ousado que o arquiteto Guilherme Torres encontrou para exibir a mais recente novidade da Saccaro, os móveis da linha Capadócia, lançados nesta quarta (12). Seu trançado lembra os dos cestos dos balões de ar quente que costumam cruzar os céus da Turquia – daí a ideia de Guilherme de fazer as peças “voarem” no firmamento paulistano.

Desenhados por Roque Frizzo, os sofás, poltronas, ninhos, cadeiras e pufe da coleção inauguram um novo segmento de produtos da Saccaro, que possuem características indoor e outdoor simultaneamente. Chamados dein shade(na sombra), eles são leves, despojados e combinam perfeitamente com os ambientes intermediários entre as áreas internas e externas, tão comuns nas moradas atuais.

FOTO 2

FOTO 3 FOTO 4

Fonte: casa.abril.com.br | Por Rosele Martins

Saccaro apresenta Capadócia no DW! 2015

Comemorando os 30 anos de design autoral, marca lança Coleção Capadócia by Roque Frizzo, com cenografia de Guilherme Torres

foto1

A reprodução do céu com seus balões, na região da Capadócia, na Turquia, serviu de inspiração para a Saccaro, na 4ª edição do Design Weekend (DW!), de 12 a 16 de agosto, no Jockey Club em São Paulo. Em comemoração aos 30 anos de design autoral, a marca lança uma coleção – inspirada na região turca – assinada por Roque Frizzo e instalada de forma lúdica e conceitual pelo renomado arquiteto Guilherme Torres.

Um dos grandes destaques dentre os lançamentos, o estofado Ninho, foi escolhido por Torres para dozes deles estarem suspensos no ar, em alturas diferentes, fazendo alusão aos balões no céu. As tramas do mobiliário também remetem as fibras de um ninho e volta às origens da marca, há quase 70 anos com as tramas de junco (fibra natural), tecidas à mão por Albino Saccaro. Cestos, berços, ninhos, foram o começo dessa jornada que percorreu todas as tendências, valorizando e investindo no design autoral.

“Os primeiros cestos de vime de Albino Saccaro embalavam garrafões. A Capadócia representa um cesto de balão, como os cestos de Albino, que embalam sonhos e coragem”, explica Roque Frizzo.

 

Capadócia é In Shade

Com o lançamento da coleção Capadócia, a Saccaro inaugura um novo conceito chamado In Shade (na sombra) com produtos que possuem características indoor e outdoor simultaneamente. “As residências atuais vem mudando seus formatos e influenciando em novos comportamentos de moradia. Hoje já não sabemos mais onde termina o indoor e onde começa o outdoor, em função de uma perfeita sintonia e extensão das áreas. Por isso, o in shade busca propor essa versatilidade de estar em ambos os espaços”, explica o designer Roque Frizzo.

Seus materiais caracterizam mobiliários de uso externo: são leves, despojados e utilizam estruturas de alumínio com trançados. Ao mesmo tempo, têm funções que usualmente não estão expostas diretamente ao sol, como materiais e acabamentos de tecidos mais leves, almofadas confortáveis e acabamentos naturais.

A preocupação com o sol e a chuva não foram abandonados e sim adequados ao uso In Shade, pois varandas cobertas, sacadas e terraços cobertos são menos suscetíveis às intempéries.

 

Serviço:

 

Design Weekend – DW!

Data: de 12 a 16 de agosto

www.designweekend.com.br

 

Jockey Club de São Paulo

Av. Lineu de Paula Machado, 875

Cidade Jardim – São Paulo

 

Saccaro

www.saccaro.com.br

 

Guilherme Torres

www.guilhermetorres.com.br