Páscoa imperdível: cupcake com ganache

Sobremesa leva decoração de coelinho.

cupcake

Em homenagem a essa data tão gostosa, hoje compartilharemos com vocês uma receita que pode ser servida logo no café da manhã do dia de Páscoa, como um mimo para os pequenos, como sobremesa ou como acompanhamento do café após o almoço.

Divertido e saboroso, o cupcake com recheio de ganache de chocolate meio amargo e buttercream de baunilha é uma receita do querido chef Juliano Cordeiro, do sempre criativo Buffet Zest. Nem mesmo o coelhinho vai resistir!

Vamos à receita?

Os ingredientes para o cupcake estão abaixo e a quantidade sugerida rende em média 20 unidades.

massa

Preparo

1. Bata a manteiga e o açúcar até obter um creme
2. Junte os ovos e as gemas e bata por mais 1 minuto
3. Acrescente a baunilha e o leite, alternando com a farinha de trigo (já misturada com o fermento)
4. Divida a massa entre as forminhas e deixe assar em forno pré-aquecido a 150º por cerca de 20 ou 30 minutos

Os ingredientes para o ganache de chocolate meio amargo são os seguintes:

ganache

Preparo

1. Derreta totalmente os chocolates em banho-maria ou no microondas
2. Acrescente o creme de leite e o mel e misture bem
3. Mantenha na geladeira de um dia para o outro

Os ingredientes para o buttercream de baunilha são os seguintes:

buttercream

Preparo

1. Bata a manteiga com o açúcar até dobrar de volume
2. Acrescente o leite condensado e a baunilha e bata por cerca de 1 minuto
3. Deixe na geladeira por 4 horas

Montagem final

1. Retire as forminhas do forno e com uma faca pequena e retire parte do miolo do cupcake, preenchendo com o ganache.
2. Cubra o cupcake com o buttercream, com a ajuda de um saco de confeiteiro e bico pitanga.

Para completar, decore com chocolate granulado branquinho!
Ah, e não se esqueçam de convidar as crianças para a montagem do doce. Elas vão adorar!

Irresistível, não é mesmo?

Boa Páscoa!

Fonte: Casa Vogue | Por Vamos Receber; Arte Karen Hofstetter / Divulgação

Criações de Bruno Faucz são finalistas no Salão Design 2016

Com 25 anos de história, o Salão Design é atualmente a maior premiação de design de produtos da América Latina, e ocorre atualmente em Bento Gonçalves – RS

O objetivo do prêmio Salão Design é integrar a criatividade e a inovação tecnológica por meio do design e destacar a capacidade e o talento de profissionais, estudantes e indústria. É realizado pelo Sindmóveis desde 1988 e, em 2016, chega a sua 20ª edição.

O designer catarinense Bruno Faucz, teve algumas de suas criações selecionadas para a etapa final da premiação. Dentre elas, destaque para a bela Poltrona Patagônia desenvolvida para a Saccaro.

bruno faucz

Inspirada no habitat e cultura da região argentina; uma peça que valoriza a madeira combinada ao couro. O móvel faz alusão às cavalgadas, forte prática turística da Patagônia, revelando detalhes característicos como as costuras presentes nas celas, suas amarrações a abotoaduras.

6062_01 6062_02

6062_06 6062_07

A arquitetura fascista de Mussolini

Uma reflexão sobre a história do Racionalismo Italiano

colunas-arthur-casas-arquitetura-facista_3

O Racionalismo Italiano nasceu no período do fascismo para se apresentar como uma arquitetura de regime. No início, o movimento arquitetônico foi aceito pela Ordem dos Arquitetos fascistas e por Mussolini, mas, mais tarde, se opôs à ele.

No final da Primeira Guerra Mundial, tal vertente se espalhou graças à sua linguagem clássica onírica e sonhadora, nos moldes da pintura metafísica do artista De Chirico (1988-1978), que pinta elementos típicos das cidades clássicas, em particular varandas vazias ou com poucas figuras. Ou seja, uma organização esquemática e prospectiva.

O Racionalismo Italiano se desenvolveu na Itália nos anos 1920 e 1930, em conjunto com o Movimento Moderno internacional, seguindo os princípios do funcionalismo e se mantendo até os anos 1970.

colunas-arthur-casas-arquitetura-facista

“Entre o nosso passado e nosso presente não há nenhuma incompatibilidade. Não queremos romper com a tradição, é a tradição que se transforma, assume novos aspectos, sob os quais poucos se reconhecem.” (Revista “Rassegna Italiana”, dezembro 1926).

Em 1926, um grupo de arquitetos do Politecnico di Milão, do qual fazia parte Giuseppe Terragni, criou o Grupo Sete, formado oficialmente em 1930 como MIAR (Movimento Italiano de Arquitetura Racional).
O grupo começou a se tornar conhecido por uma série de artigos publicados na revista italiana Rassegna Italiana e, nessa revista, em dezembro de 1926, o Grupo 7 apresentou ao público os novos padrões de arquitetura, que remetiam ao Movimento Moderno, na época em ascensão em toda a Europa. Foi um momentro de dar atenção à Deutscher Werkbund e aos construtivistas russos e de se distanciar dos futuristas.

colunas-arthur-casas-arquitetura-facista_1

Uma das características mais charmosas do Movimento Moderno na Itália é o tema abstrato, que evoca precedentes clássicos. A monumentalidade é refletida, por exemplo, no cubo de cristal gravado com arcos do Palazzo della Civiltà Romana, do arquiteto Giovanni Guerrini em Roma (1938). O prédio tem planta quadrada e se parece com um paralelepípedo de quatro lados iguais, com estrutura de concreto armado coberta inteiramente com mármore. São 54 arcos de cada lado, características que lhe garantiram o apelido de “Coliseu Quadrado”.

A escolha do mármore, além de responder aos requisitos de retornar à tradição do Império Romano, foi utilizada para satisfazer o regime autárquico desejado, que queria mostrar a autossuficiência econômica e a capacidade de realizar um edifício deste tamanho usando apenas a pedra.

Hoje o prédio é declarado Patrimônio da Humanidade pelo Ministério do Património e Cultura e, portanto, é vinculado a fins de exposições e de museu.

colunas-arthur-casas-arquitetura-facista_2

Fonte: Casa Vogue | Por Ludovica Giangrossi, de Roma, Colaboradora do Studio Arthur Casas

Profissionais de Vendas Top 5 Saccaro viajam para Buenos Aires

Como forma de incentivo e reconhecimento aos Profissionais de Vendas que se destacaram durante o ano de 2015, a marca proporcionou uma viagem para Buenos Aires para 4 Profissionais de Vendas da rede de lojas Saccaro. São elas:

1º lugar Franquias: Ádila Alves da Rocha (Saccaro João Pessoa)
2º lugar Franquias: Daniela Nogueira Silva (Saccaro João Pessoa)
3º lugar Franquias: Magali Diniz (Saccaro D&D)
1º lugar Galerias: Cláudia Palaretti (Casa de Família – Ribeirão Preto)

Durante a viagem, o grupo pode conhecer diversos pontos históricos da cidade, sua arquitetura, cultura e gastronomia. Além de apreciar um verdadeiro show de Tango, o Rojo Tango, no Hotel Faena.

BAires1

BAires2 BAires3

 

BAires16

A viagem também teve momentos de treinamento e informação, realizado através de uma visita técnica à sede da empresa, onde puderam conhecer melhor o processo produtivo dos móveis Saccaro.

BAires17

BAires18

Parabenizamos as Profissionais que se destacaram durante o ano de 2015!

Arquitetura surpreendente permite ver o mar do alto da floresta

Construção é suspensa para preservar vegetação nativa

casa-ubatuba-17

Na copa das árvores, 30 metros acima da praia: eis o endereço flutuante desta casa modernista criada pelo escritório SPBR Arquitetos, na Praia dos Tenórios, em Ubatuba, litoral de São Paulo. De todos os ângulos, a vista para o mar azul é um espetáculo singular. Não por acaso, o Trópico de Capricórnio passa ali perto, como se delimitasse o lugar de forma especial.

casa-ubatuba-18
A construção de 346 m² é acessada pelo topo, por meio de uma ponte que chega à rua. Ao olhar para baixo, é possível entender porque a obra é suspensa: foi erguida para preservar a vegetação ao redor, uma mata protegida por leis ambientais.

casa-ubatuba-15

Esse obstáculo inspirou os arquitetos a apostarem em três pilares de concreto para sustentar toda a morada. Quatro vigas sobre estes pilares penduram todas as lajes, uma ousadia arquitetônica de referências modernistas.

casa-ubatuba-14

O brutalismo da arquitetura e o minimalismo do décor ganham o equilíbrio da madeira, que abraça a casa em pontos estratégicos, com ripas. Panos de vidro e aberturas amplas trazem a leveza de uma casa de praia moderna. Um refúgio de clima despojado para os proprietários, um casal com dois filhos jovens, que passam as férias e fins de semana na piscina, a porção mais ensolarada do projeto.

casa-ubatuba-13

casa-ubatuba-12

casa-ubatuba-11

casa-ubatuba-10

casa-ubatuba-09

casa-ubatuba-04

casa-ubatuba-03

Fonte: Casa Vogue
Por Carol Scolforo; fotos Nelson Kon/ divulgação

Torta caprese, um clássico da Itália

Aprenda esta sobremesa típica e deliciosa!

1.1

O Bráz Trattoria, restaurante com ares industrial chic de São Paulo, surgiu da parceria entre a dupla de chefs Benny Novak e Renato Ades e os proprietários da pizzaria Bráz. Eles cederam gentilmente à Casa Vogue uma sobremesa tradicionalmente italiana. Vamos à receita? Mãos à massa!

Torta Caprese do Bráz Trattoria

Rendimento: 1 torta ou 12 pedaços

Ingredientes

• 3 xícaras de chá de farinha de amêndoas
• 1 xícara de chá bem cheia de açúcar
• 6 ovos
• 1 xícara de chá de manteiga sem sal
• 300 g de chocolate 70%, em barra
• ½ xícara de chá de açúcar de confeiteiro

Modo de preparo

• Derreta o chocolate e a manteiga no micro-ondas
• Bata os açúcares e ovos na batedeira em velocidade baixa. Acrescente a manteiga e o chocolate derretidos e depois a farinha de amêndoas. Mexa bem devagar
• Coloque em forma de fundo falso, untada com manteiga e polvilhada com chocolate em pó. Asse a 160º C por 50 minutos.

Para finalizar, polvilhe açúcar de confeiteiro e sirva com sorvete de creme

Fonte: Casa Vogue

Por Redação; Foto Lufe Gomes / Divulgação

A última casa de Frank Lloyd Wright

Residência curvilínea projetada pelo arquiteto está disponível por U$ 3.6 milhões

1

Frank Lloyd Wright assinou cerca de mil projetos, e o número de edifícios que o renomado arquiteto finalizou é ainda mais impressionante, totalizando 532. Em seus setenta anos de carreira nasceram hotéis, escolas, igrejas, complexos arquitetônicos e museus, todos com um estilo inconfundível. Entre essa míriade de criações está a residência Norman Lykes, em Phoenix, no Arizona, EUA, feita na mesma data em que o arquiteto deixou a vida, 1959.

2

Wright já havia trabalhado incessantemente nos rascunhos desse projeto junto a seu grande aprendiz, John Rattenbury, e até mesmo já havia escolhido o local ideal para sua construção. Arquiteto de fases, essa casa representa bem sua última voz, que abraçava as formas curvilíneas – como fez com o lendário museu Guggenheim.

3

Os 265 m² de área se integram as formas da natureza circundante no Palm Canyon, região de onde a casa tem vista privilegiada. Com três quartos e três banheiros, ela também conta com uma cozinha com bancadas desenhadas especialmente pelo arquiteto.

4

A família contratou Rattenbury para finalizar os desenhos de acordo com os desejos de Wright, e para comandar a construção, que só saiu do papel em 1967. Uma reforma, em 1994, também foi realizada por por ele, que expandiu um quarto e renovou o interior da casa. Hoje, ela está disponível por U$ 3.6 milhões.

5 6

7 8

9 10

11 12

Fonte: Casa Vogue

Por redação; fotos Top Ten Real Estate Deals/ divulgação