Este piloto apaixonado por fotografia capta as imagens mais impressionantes do céu e de tempestades

Provavelmente, não há ninguém que veja o céu com tanta frequência quanto um piloto de avião. Esses profissionais costumam ver imagens lá de cima que talvez nós nunca veríamos. Isso, é claro, se um destes pilotos não fosse também um ótimo fotógrafo nas horas vagas.

piloto3

Mas, para nossa sorte, Christiaan van Heijst aproveita o tempo em que está pilotando um boing 747 para capturar algumas imagens impressionantes do céu. Suas fotografias são clicadas com uma Nikon D800 e compartilhadas através de seu site e de suas redes sociais, onde também costuma relatar eventos relacionados com a sua carreira na aviação.

piloto6

Para acompanhar os cliques feitos por ele, você pode seguir o piloto no Facebook ou no Instagram, onde ele já acumula mais de 20 mil seguidores.
Confira algumas das fotografias fantásticas:

piloto11

piloto7

piloto10

piloto9

piloto12

piloto5

piloto13

piloto14

piloto2

piloto8

piloto1

Fonte: nomadesdigitais

Impressionantes fotos aéreas mostram famosos pontos turísticos como você nunca viu antes

Marcos famosos como O Arco do Triunfo ou as Pirâmides de Gizé podem ser reconhecidos facilmente pela maioria das pessoas. Mas esta série de fotografias aéreas nos dá uma visão panorâmica e completamente nova desses lugares.

As imagens ilustram como uma mudança de perspectiva pode alterar a nossa visão. Além disso, alguns lugares como os hotéis de Dubai, a floresta Mangrove, na Nova Caledônia, e até mesmo as Pirâmides de Gizé, no Egito, são ainda mais impressionantes quando vistos de cima.

Apesar de quase todas as fotografias terem sido capturadas sob a perspectiva real de um pássaro, algumas parecem ter vindo de uma altitude que nem mesmo os pássaros poderiam alcançar, já que os fotógrafos geralmente utilizam balões de ar quente, planadores e helicópteros para realizarem o trabalho.

O resultado é épico:

Vale Bac Son, Vietnã
HYPENESS_Passaro_Vientam
Imagem: Hai Thinh

Veneza, Itália
HYPENESS_Passaro_Veneza
Imagem: Yann Arthus Bertrand

Vaticano, Itália
HYPENESS_Passaro_Vaticano
Imagem: Randy P

Vancouver, Canadá
HYPENESS_Passaro_Vancouver
Imagem: Evan Leeson

Vale Meskendir, Turquia
HYPENESS_Passaro_Turquia
Imagem: Beng Lieu Song

Rio de Janeiro, Brasil
HYPENESS_Passaro_Rio
Imagem: Antonello

Pomerânia, Polônia
HYPENESS_Passaro_Poland
Imagem: Kacper Kowalski

Paris, França
HYPENESS_Passaro_Paris
Imagem: imgur.com

Moscou, Rússia
HYPENESS_Passaro_Moscou
Imagem: imgur.com

Floresta Mangrovia, Nova Caledônia
HYPENESS_Passaro_Mangroves
Imagem: Yann Arthus Bertrand

Dubai, Emirados Árabes
HYPENESS_Passaro_Marina-Bau
Imagem: airpano.com

Seattle, Estados Unidos
HYPENESS_Passaro_Seatle
Imagem: thatcherphotography.com

Male, Ilhas Maldivas
HYPENESS_Passaro_Maldivas
Imagem: Mohamed Abdulla Shafeeg

Campos de tulipas, Holanda
HYPENESS_Passaro_Holanda
Imagem: Normann Szcop

Cataratas do Niágara, Canadá
HYPENESS_Passaro_Falls
Imagem: thezooom.com

Cidade do México, México
HYPENESS_Passaro_Mexico
Imagem: Pablo Lopez Luz

Maze em Longleat, Inglaterra
HYPENESS_Passaro_England
Imagem: archives.4plebs.org

Pirâmides de Gizé, Egito
HYPENESS_Passaro_Egito
Imagem: satinmagincorp.com

Dubrovnik, Croácia
HYPENESS_Passaro_Dubrovinik
Imagem: Michaelphillipr

Terraços dos campos de arroz, China
HYPENESS_Passaro_China
Imagem: Thierry Bornier

Chicago, Estados Unidos
HYPENESS_Passaro_Chicago
Imagem: Robert Elves

Amsterdã, Holanda
HYPENESS_Passaro_Amsterdam
Imagem: Bored Panda

Cidade do Cabo, África do Sul
HYPENESS_Passaro_CapeTown
Imagem: imgur.com

Berna, Suíça
HYPENESS_Passaro_Berna
Imagem: imgur.com

Barcelona, Espanha
HYPENESS_Passaro_Barcelona
Imagem: Aldas Kirvaitis

Atenas, Grécia
HYPENESS_Passaro_Atenas
Imagem: imgur.com

Xangai, China
HYPENESS_Passaro_Xangai
Imagem: imgur.com

Nova Iorque, Estados Unidos
HYPENESS_Passaro_CentralPark
Imagem: Sergey Semenov

Fonte:  Nômades Digitais

As melhores fotos de arquitetura do mundo

Em Londres, a exposição ‘Building Images’ traz nomes importantes como Fernando Guerra.

exposicao-building-images-londress-03

A mostra Building Images: The Arcaid Images Architectural Photography Awards reúne o melhor das imagens de arquitetura em todo o mundo e celebra a influência da fotografia na maneira como experienciamos os espaços. A exposição, que permanecerá em cartaz até 25 de março, em Londres, apresenta as imagens pré-selecionadas e vencedoras da edição de 2015 do prêmio Arcaid Images de fotografia de arquitetura.

exposicao-building-images-londress-02 exposicao-building-images-londress-04

A mostra reúne trabalhos de alguns dos mais renomados fotógrafos de arquitetura do mundo, incluindo o vencedor Fernando Guerra e candidatos, como Iñigo Bujedo Aguirre, DoubleSpace (Amanda Grande e Younes Bounhar), Christopher Frederick Jones, Laurian Ghinoiu, Mark Gorton, Ryan Koopmans, Lingfei Tan + Canção Han, Mads Mogensen, Tom Roe, Ieva Saudargaitė, Su Shengliang, Grant Smith e Jeremie Souteyrat.

exposicao-building-images-londress-01 exposicao-building-images-londress-02

Durante o World Architecture Festival 2015, um painel altamente qualificado foi responsável pelo julgamento das fotografias do prêmio Arcaid Images. Fabrizio Barozzi, Alberto Veiga, Amy Croft, Katy Harris, Nick Hufton, Allan Crow, Ian Moore, Clifford Pearson e Christine Murray formaram o time de experts que analisaram os cliques, considerando os méritos dos fotógrafos na composição, luz, senso de lugar, atmosfera e uso de escala.

exposicao-building-images-londress-09 exposicao-building-images-londress-06  exposicao-building-images-londress-07

A mostra Building Images é dividida em quatro categorias que exploram as diferentes qualidades arquitetônicas, abordagens técnicas e metodologias. São elas: edifícios em uso, exteriores, interiores e senso de lugar. As imagens estão ocupando o espaço Werkstatt, gerido pelo Grupo Sto, que se orgulha de poder participar desta celebração dos fotógrafos e fomentar o debate a respeito da disciplina.

exposicao-building-images-londress-11 exposicao-building-images-londress-08

 
Fonte: Casa Vogue; Por Mariana Kindle; fotos divulgação

Os pets mais famosos dos anos dourados

Livro mostra os animais das estrelas do passado.

Há quem diga que, entre os anos 1950 e 1960, a Riviera Francesa era um lugar onde todos eram bonitos e felizes. Naturalmente, o destino paradisíaco era a escolha certeira de todas as celebridades dos anos dourados. Foi nesse contexto dos sonhos que o fotojornalista irlandês Edward Quinn (1920 – 1997) registrou para a posteridade ícones da arte e do cinema – que vão de Pablo Picasso a Grace Kelly – em momentos mais que descompromissados. O segredo de Quinn para atravessar a aura de autoproteção que elas tinham – e ainda têm nos dias de hoje – está no livro recém-lançado pela editora teNeues:

Além do modo gentil com o qual o irlandês tratava as estrelas, o truque para flagrá-las com naturalidade era abordá-las enquanto estavam com seus bichinhos ou outros animais. Como um passe de mágica, elas baixavam a guarda, tornavam-se acessíveis e permitiam ser fotografadas em momentos íntimos.

Tal tática surgiu logo no início da carreira de Quinn, quando registrava uma competição de cavalos em Nice, na França. Não demorou muito até que seu nome fosse citado pela revista People como “o responsável por levar a fotografia de celebridades para o campo das artes” e que seus cliques passassem a mostrar cenas até então nunca imaginadas pelo público. Em Celebrity Pets é possível ver o Príncipe Rainer impressionando Grace Kelly com um tigre, Salvador Dali e sua eterna musa Gala se divertindo com um carneirinho, e Brigitte Bardot dividindo com sua inseparável vira-lata Guapa o lugar que todos os homens dá época sonhavam: a cama.

 

Edward Quinn: Celebrity Pets – On the French Riviera in the 50s and 60s

160 páginas

Publicado em inglês, francês e alemão

Editora teNeues

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: casavogue Por Michell Lott;  Fotos Edward Quinn / Divulgação

 

 

Prêmio Brasil de Fotografia exibe obras

São Paulo recebe até 31 de março uma amostra do melhor da produção contemporânea de imagens fotográficas do Brasil. Trata-se da exposição com as peças vencedoras do Prêmio Brasil de Fotografia de 2014, honraria que distribuiu R$ 180 mil a seis artistas.

O destaque vai para o veterano João Roberto Ripper, especializado em imagens de Direitos Humanos. O fotojornalista ganhou a categoria Especial, dedicada ao conjunto da obra.

Sonia Guggisberg e Gilvan Barreto conquistaram os prêmios por ensaios já realizados. A artista registrou no vídeoSamarina a derrubada de um galpão industrial. Enquanto a câmera focaliza o movimento da fumaça e do pó provocado pela queda, os sons da demolição se misturam às vozes de crianças que cantam em um áudio da década de 1970.

Barreto venceu o prêmio com o conjunto de imagens Moscouzinho, alcunha dada a Jaboatão (PE), primeira cidade a eleger um prefeito comunista do Brasil. O fotógrafo cresceu na cidade durante os anos 1970, seguindo seus pais em reuniões políticas. Inspirado pela poesia soviética, misturou manualmente arquivos da ditadura militar e fotos de álbuns de família.

As bolsas de desenvolvimento foram para Marcos Muniz, com o ensaio documentalMenonitas; Paula Alzamara, com o projeto À Margem, e Vinicius Assencio, para a investigação fotográfica O Mesmo Fogo em Outras Terras. Cada um recebe R$ 20 mil como incentivo para desenvolver os trabalhos.

Os seguintes especialistas compuseram o júri do prêmio: Boris Kossoy e Walter Firmo, fotógrafos; Cildo Oliveira, artista visual; Leonor Amarante, curadora e jornalista, além da pesquisadora e professora Simonetta Persichetti.

Exposição Prêmio Brasil de Fotografia

Data: até 31 de março

Local: Espaço Cultural Porto Seguro

Endereço: Av. Rio Branco, 1489, Campos Elíseos, São Paulo, SP

Horário: de terça a sexta, das 10h às 19h; sábados e domingos, das 10h às 17h

Entrada franca

 

Pai e filho convivendo com o semiárido, imagem de João Roberto Ripper clicada em 2013 na Paraíba

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vazanteiros da comunidade Ilha Pau Preto, registro feito em Matias Cardoso (MG), às margens do rio São Francisco

 

 

Ensaio Samarina, de Sonia Guggisberg, foca na destruição de um galpão industrial em São Paulo

 

 

 

 

Fotomontagem integrante do ensaio Moscouzinho, do pernambucano Gilvan Barreto

 

 

 

Moscouzinho tem como ponto de partida a cidade de Jaboatão (PE), primeira a eleger um prefeito comunista no Brasil

 

 

 

Menonitas, projeto de ensaio de Marcos Muniz, premiado com bolsa de desenvolvimento

 

 

 

Com o projeto O Mesmo Fogo em Outras Terras, Vinicius Assencio se propôs a investigar as queimadas das lavouras de cana de açúcar e terrenos baldios, comuns no interior paulista

 

 

 

 

Projeto À margem, Paula Alzamara investiga a questão da reprodutibilidade na fotografia. Parte do trabalho consiste em montar negativos fotográficos com filme 120 mm sobre suportes de acrílico

 

Fonte: Casa Vogue | POR NILBBERTH SILVA

Fotógrafa registra as árvores mais antigas do mundo

 

A fotógrafa Beth Moon passou 14 anos em uma busca pelas árvores mais velhas do mundo. Nesse período, a profissional de São Francisco, nos Estados Unidos, viajou pela África, Europa, Ásia, Oriente Médio e o seu país – capturando belíssimas imagens da natureza.

Beth publicou 60 de suas imagens em preto e branco no livro Ancient Trees: Portraits Of Time (Abbeville Press). A fotógrafa selecionou as árvores pela idade, tamanho e história – a mais antiga delas tinha 4.800 anos!

Entre as imagens estão os baobás de Madagascar, chamados de “árvores de cabeça para baixo”, por causa da falta de proporção entre os troncos gigantes e galhos pequenos. Outro exemplo são os dragoeiros, espécie em formato de guarda-chuva com seiva avermelhada, que cresce apenas na ilha de Socotra, no nordeste da África.

“De pé como um dos maiores e mais antigos monumentos da Terra, creio que essas árvores simbólicas ganharão significância maior, especialmente em um tempo quando nosso foco está direcionado a encontrar as melhores maneiras de viver com o meio ambiente”, conta Beth.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Casa Vogue (POR REDAÇÃO; FOTOS BETH MOON / DIVULGAÇÃO)

22 maneiras de criar design

Em uma mistura muito bem dosada de reaproveitamento de materiais e elegância, arquitetos e designers de interiores de todo o país uniram suas inspirações para criar projetos inovadores. Unindo a realidade cosmopolita urbana com ares de natureza e liberdade, 22 projetos foram desenvolvidos, mostrando um leque de opções para os novos consumidores do mercado.

Desde arquitetura funcional, ênfase no mobiliário e interação entre ambientes, os projetos abrangem os mais diferentes gostos. Na mesma linha, com a pluralidade de profissionais de variados locais do país, os projetos seguem características regionais e não-regionais, criando uma diversificação do trabalho.

Os 22 projetos estão listados e especificados nesta edição da revista Saccaro CasaS. São duas páginas completas explicando sobre cada colaborador e uma dando ao leitor uma visão mais próxima e íntima de cada ambiente criado.

Hong Kong vista de um modo diferente

Hong Kong é um lugar completamente exótico que oferece várias sensações em seus diversos habitats. Porém, um fotógrafo francês decidiu mostrar uma imagem da cidade até então não documentada.

Romain Jacquet-Lagreze quis captar as sensações que a verticalidade dos prédios passam. Isso no livro Vertical Horizon (“Horizonte Vertical”), no qual a maioria das fotos são tiradas de baixo pra cima, de forma bastante alinhada, nos dando novas interpretações geométricas dos prédios (e um pouco de tontura também).

Vale a pena entrar nessa viagem:

Fonte